Contribuição Fiscal

A atividade de silvicultura é geradora direta de tributos municipais. A arrecadação de ISSQN ocorre ao longo do ciclo produtivo, em especial nas fases de plantio e de colheita, além da geração direta de tributos municipais, indiretamente é objeto de tributação o pagamento de contribuições previdenciárias (PIS/CONFINS) por ocasião da realização de quaisquer operações nas áreas da empresa. Ademais, sempre que a empresa decide adquirir terras para o plantio, no momento da venda é gerado mais um tributo municipal: o ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis). É importante ressaltar que no intervalo entre estes eventos, sempre que ocorrerem operações na área (por exemplo, manutenção de estradas, cercas, medições do plantio/inventário florestal ou operações para recuperação ambiental), haverá novamente recolhimento de ISSQN. Entretanto, a geração a partir dessas operações é menor em comparação àquela das fases de implantação e colheita.

No ano de o 2015, a CMPC Celulose Riograndense gerou nos municípios monitorados uma arrecadação de ISSQN no montante de R$ 13.193.977,24 (valores nominais).
Tabela ISSQN 2004-2016